Marianne
Estive caminhando por esse deserto
De certo que ninguém me encontrou
Desmoronou as dunas com o vento
O tempo não perdoa um cego coração
Indecisão sem saber qual a conclusão
Ilusão foi tudo o que você me deixou
Me abandonou e reza para eu não te encontrar
Amar você foi odiar a mim
Assim sem piedade...
Marianne
Eu desenho seu nome no vento para que ele vá embora
E leve todas as cicatrizes e sangue que você deixou
Deixou quando resolveu partir e me deixar para trás
Sim, você me traiu e jogou seus dados sobre mim
O abandono é pior que um tiro no peito
E você atirou em meu coração
Não sei mais se amo você
Mas tenho certeza que te odeio
Sem lágrimas, não derramarei mais nenhuma
Por tudo o que vivemos
Por todos os risos sorridos
Você me enterrou com suas palavras de adeus
E eu falei que te encontraria um dia perdido por ai
Mas eu sei que esse dia nunca chegará
Então suponho que você arrume alguém que te ame mais que eu
Mas sei o quão difícil isso é para você
Não era fácil lidar com seu temperamento
Eu era a única que te suportava pois estava cega
E não via que por trás do seu sorriso haveria um demônio
Sem mais palavras... seguirei um novo rumo
Até cruzar seu caminho novamente e ter superado essa dor
Marianne

Marianne

Marianne

Marianne


Marianne
Depois de um longo tempo afastada desse blog, resolvi atualizá-lo com minhas memórias. Agora tenho um vlog sobre Filosofia e Psicologia, irei postando aos poucos os meus vídeos, para quem gostar - cai na toca do coelho!!!


Marianne
Está ventando e eu não consigo acender meu cigarro, isso me irrita um pouco, mas no final eu sempre consigo... “Essa nicotina ainda me mata” penso e continuo seguindo. Você tinha um cheiro suave de coca-cola zero, por isso nunca mais tomei, para não lembrar de você e nem chorar, se bem que todas as minhas lágrimas se secaram já faz tempo... Meu cigarro está pela metade e eu ainda busco respostas para tantas dúvidas. É difícil quando tudo foge do seu controle, quando você perde o rumo a direção... É foi tudo isso que me fez andar em um círculo vicioso onde nunca tem um começo ou um fim. Sinto falta não do que você se tornou, mas do que você foi comigo um dia.
Marianne
















O silêncio fala mais alto agora, não temos motivos para sermos estranhos um ao outro, essa vida é única e única é a certeza de que iremos morrer, mas vivemos como imortais... Eu me assustei com sua face, você sabia melhor que eu que no final destruímos aquilo que mais amamos. Pegue na minha mão e vamos terminar com esse jogo, cada um do seu lado e um adeus abrindo um abismo entre nós... Você está tão estranho que nem consegue mais disfarçar, mas eu estou bem, tudo o que eu precisava eu tenho em mãos. Mais uma xícara de café meu caro, preciso de muita cafeína para acordar desse pesadelo e fingir que tudo está bem, sorrir e acenar como se eu fosse perfeita, pois eles estão cobrando a sua perfeição e é só isso que todo mundo procura um no outro: a perfeição. Queria estar do seu lado, mas quando lembro do que eu passei, eu me envolvo numa bolha e me isolo do mundo... Queria que essa vida acabasse logo.
Marianne


"Nós éramos amigos e nos tornamos estranhos um para o outro. Mas está bem que seja assim, e não vamos ocultar e obscurecer isto, como se fosse motivo de vergonha. Somos dois navios que possuem, cada qual, seu objetivo e seu caminho; podemos nos cruzar e celebrar juntos uma festa, como já fizemos – e os bons navios ficaram placidamente no mesmo porto e sob o mesmo sol. Parecendo haver chegado ao seu destino e ter tido um só destino. Mas, então, a todo-poderosa força de nossa missão nos afastou novamente, em direção a mares e quadrantes diversos, e talvez nunca mais nos vejamos de novo – ou talvez nos vejamos, sim, mas sem nos reconhecermos: os diferentes mares e sóis nos modificaram! Que tenhamos de nos tornar estranhos um para o outro é da lei acima de nós: justamente por isso deve-se tornar mais sagrado o pensamento de nossa antiga amizade! Existe provavelmente uma enorme curva invisível, uma órbita estelar em que nossas tão diversas trilhas e metas estejam incluídas como pequenos trajetos – elevemo-nos a esse pensamento! Mas nossa vida é muito breve e nossa vista muito fraca, para podermos ser mais que amigos no sentido dessa elevada possibilidade. – E assim crer em nossa amizade estelar, ainda que tenhamos de ser inimigos na Terra".

(Nietzsche, A Gaia Ciência, aforismo 279)
Marianne



Há pessoas que são tão doentes por serem sozinhas, por não terem com quem compartilhar sua vida, que qualquer lixo que apareça na frente, que dê alguma oportunidade – já fica comendo na mão.

Pessoas que não são capazes de viverem consigo mesmas, sempre estarão com más companhias.
Abandonam os amigos e se tornam escravos, se mandarem comer merda, come!

Lembro certa vez de madrugada quando você jogou o carro na frente de um caminhão, eu não senti medo, porque confiava em você, e naquele dia eu não errei, mas depois eu pensei e vi o tamanho do risco que eu corri ao seu lado.

Sabe, é difícil me aturar, mas você já parou pra pensar no que eu já te aturei? Nos riscos que eu corri ao seu lado e ainda sim permaneci saindo contigo? Consegue ver a gravidade das coisas?

Se você está amando, tudo bem, é seu direito, mas isso não justifica o fato de você me ignorar como se nunca tivéssemos nos conhecido... Eu pedi desculpas, mas você não as aceitou, isso significa o quão manipulado você está sendo e eu lamento muito por isso, porque nunca imaginei que aquela pessoa que eu chamava de amigo fosse se tornar um cachorrinho de estimação de uma qualquer que surgiu do nada, se fazendo de coitada, que para mim não passa de uma interesseira barata que quer aproveitar de você até enjoar, até ver que não precisa mais de você.

Talvez tivesse que ser assim mesmo... Eu reconheço os meus erros, não fico lamentando e jogando na cara tudo o que você fez de ruim para mim, porque eu considero as coisas boas, já você pouco se importa com o que eu já suportei de você.

Espero que quando você enxergar a gravidade das coisas, não seja tarde demais, pois não vou esperar a vida toda pelas suas desculpas.
Marianne
Essa vai especialmente para um certo individuo imbecil!


ONE OF THOSE GIRL - AVRIL LAVIGNE
 
Eu conheço o seu tipo de garota
Que você apenas se importa com uma coisa
Com quem você tem visto ou onde você tem estado
Quem tem dinheiro

Eu vejo aquele olhar nos seus olhos
Ele diz milhões de mentiras
Mas profundamente eu sei o porque
Você está conversando com ele

Eu sei tudo sobre você
Eu realmente espero que ele descubra

Ela é uma daquelas garotas, nada além de problemas
Apenas um olhar e agora você está vendo em dobro
Antes que você possa perceber, ela terá ido embora
Partindo pro próximo

Ela é tão boa que você não vê isso chegando
Ela lhe levará para um passeio e você será deixado sem nada
Você estará destruído, ela terá ido embora
Partindo pro próximo

Ela será o fim de você
Pelo menos é o que dizem
Já faz um tempo, você está em negação
E agora é tarde demais

A aparência dela faz você ficar alterado
Todos os sinais de aviso
Porque o seu cabelo loiro, seus olhos azuis
Fazem você querer morrer

Eu sei tudo sobre ela
Eu realmente espero que você descubra

(...)

Você sabe que isso é um jogo, você sabe que isso é um jogo
Ela continua brincando com sua cabeça
Brincando com sua cabeça

(...)

Ela é tão boa que você não vê isso chegando
Ela lhe levará para um passeio e você será deixado sem nada
Você estará destruído, ela terá ido embora
Partindo pro próximo

Partindo pro próximo
Marianne



Nunca fui boa em lidar com as pessoas, quando eu era criança eu queria ser tudo, menos criança e por isso andava só no meio dos adultos... Cresci como os adultos: ciumentos, egoístas e manipuladores.

Nunca soube lidar com as pessoas, volto a repetir isso, pois é como se eu carregasse essa culpa, pois sou radical nas minhas palavras quando estou chateada ou nervosa e por fim acabo afastando as pessoas que eu gosto... O medo de tê-las longe de mim faz com que eu as afaste definitivamente.

Tenho várias personalidades e elas se confundem em si, se alternam e isso me prejudica.

Mas eu tive que destruir com tudo, era a lei a cima de mim, sou sempre eu a correr atrás das pessoas, ouvi-las que querem se matar, que não sabem mais como viver, e eu ali segurando sempre como se tivessem a beira de um precipício, e quando sou eu que estou nesse precipício? Quem segura minhas mãos? Será que alguém me entende?

Quando as pessoas estão felizes elas não irão lembrar de você... Isso eu descobri de uma forma dolorosa.

Vou permanecer na solidão, eu cresci dessa maneira, é o que sou e não existe a hipótese de mudanças, pois essa já é minha essência.

Seja como for, não irei mais incomodar.
Marianne
Marianne